De entre os vários métodos psicoterapêuticos destaca-se o da terapia regressiva e nestes destaca-se o Deep Memory Process, ou DMP ® (Processo de Memória Profunda), tal como praticado e nos foi vivencialmente transmitido por Roger Woolger (Ph.D), e que praticamos no âmbito da nossa actividade. Resulta da síntese dos estudos e vivências do grande mestre, que foi Roger Woolger, em psicanálise, tradições xamânicas e espirituais. Consiste num intenso reexperenciar de cenas de “vivências passadas” de forma consciente e no corpo, libertação emocional, profunda percepção de energias subtis, jornadas a espaços intermediários além da morte (bardos), contatos com níveis espirituais arquetípicos e com manifestações mais elevadas do self transpessoal.

Enquanto muitas terapias se baseiam principalmente no nível mental, o Deep Memory Process realiza uma síntese eficiente, entre outras, de Freud, Jung, Reich, Moreno, e Tradições Xamânicas, transformando em simultâneo corpo, mente, emoções e espírito. Combina, então, entre outras, a Imaginação Activa (Jung), o Trabalho Corporal (Reich) e o Psicodrama (Moreno).

A terapia regressiva pode tratar de vários sintomas mentais, emocionais e/ou físicos, originados muitas vezes em traumas ocorridos em “vidas passadas”.  Assuntos inacabados que se vêm repetindo há várias vidas podem ser resolvidos em poucas sessões.

É um método terapêutico que ajuda a dissolver dores, tensões e padrões crónicos, penetrando no cerne dos bloqueios emocionais e transformando crenças limitadoras.
Entramos pela porta da sua imaginação e encorajamos o seu corpo a contar uma história. Esta história é resolvida através do psicodrama, da libertação emocional e do acesso a uma consciência elevada. Depois integramos a nova conscientização alcançada à sua vida atual.

As questões inacabadas que podem ser tratadas pela psicoterapia regressiva são, além de todas as acima referidas: ansiedade e fobias, stress, depressão, trauma, sentimentos bloqueados, traumas de infância, problemas de assertividade, vícios, fases de transição e luto (divórcio, solidão, paternidade, maternidade, perda, morte, envelhecimento etc.), questões femininas/masculinas (comunicação, intimidade etc.), sensação de falta de sentido para a vida e crescimento. A cura de muitas vidas de sofrimento pode ocorrer em apenas algumas sessões.

Quando um cliente me procura, como terapeuta de regressão: “Em geral começo com uma entrevista para explorar problemas correntes ou recorrentes. Na primeira sessão registo a história pessoal detalhada desde o nascimento, passando pela infância até chegar ao momento presente, observando a ocorrência de doenças e perturbações emocionais de qualquer tipo. Depois dou a meu cliente um exercício simples de relaxamento com os olhos fechados e começo a me concentrar em qualquer questão que pareça importante. Às vezes encorajo o cliente a focalizar uma imagem, uma lembrança recente ou uma pessoa e começar a dizer tudo o que lhe vier à cabeça, como se estivesse enfrentando aquela situação. Posso estimulá-lo à moda da Gestalt, com uma frase que sintetize ou intensifique o sentimento, como – “Estou farto disso. Deixe-me em paz”. Às vezes podemos nos concentrar numa dor no corpo, como uma dor nas costas, ou uma cólica estomacal, por exemplo, e permitir que as imagens venham daquela área.” Extraído do livro “As Várias Vidas da Alma” de Roger Woolger.