Trata-se de uma terapia através da qual a criança projeta o seu modo de ser, apresentando como objetivo principal ajudar a criança, através do brincar, a expressar os seus conflitos, dificuldades, potencialidades e ajudá-la a solucioná-los.

A Ludoterapia incentiva a criança a explorar o seu eu e o seu mundo interno, que comunicam através dos mediadores que são os brinquedos. No contexto de ludoterapia a criança é a pessoa mais importante seguindo o seu instinto e onde é ela própria decide o que fazer, como fazer, permitindo que se perceba como um ser autónomo com capacidade de expressão. Aos brinquedos compete o papel de meio de comunicação por excelência, permitindo assim a projeção de sentimentos e emoções.

O ludodiagnóstico é aplicado somente em crianças e consiste em observá-las a brincar com objetos que são selecionados previamente, em função da queixa apresentada. Através desse procedimento é possível avaliar as representações de conflitos e dificuldades porventura existentes, tanto da perspetiva evolutiva (adequação em relação à sua idade cronológica) quanto da perspetiva da sua dinâmica interna (ansiedades, principais mecanismos de defesa, padrão relacional, etc.).

No ato de brincar a criança devolve em espelho os seus sentimentos de frustração, agressividade, medo, insegurança e confusão. Assim, e através da mediação apropriada, poderemos aprender a controlá-los e/ou abandoná-los.