A Unidade Local de Saúde de Castelo Branco está a testar uma abordagem diferente à doença que começa com a área da gastroenterologia. A ideia pode ser alargada a outras áreas.

A hipnose clínica começou a ser utilizada na Unidade Local de Saúde de Castelo Branco (ULSCB) para ajudar a tratar doenças na área da gastroenterologia. Esta é apenas uma das ofertas do novo Laboratório de Interação Mente Matéria, que abriu portas no Centro de Saúde de São Tiago e funciona em articulação com o Hospital Amato Lusitano, duas estruturas da ULSCB separadas por poucos metros de distância.

O serviço conta com o apoio de Mário Simões, fundador e diretor do Laboratório de Interação Mente-Matéria de Intenção Terapêutica, um projeto pioneiro que funciona na Faculdade de Medicina de Lisboa.

Eduardo Pereira, médico especialista do serviço de Gastroenterologia do Hospital Amato Lusitano, diz que este laboratório chega a Castelo Branco depois de um longo contacto estabelecido com o projeto dinamizado por Mário Simões. O laboratório de Castelo Branco é mesmo um polo da unidade de investigação no Hospital de Santa Maria, onde fica a Faculdade de Medicina de Lisboa. A utilização da hipnose salta à vista mas os promotores dão a entender que é muito redutor resumir este projeto a esse método.

“A hipnose é uma das modalidades. Isto é muito mais vasto, por isso é que temos que acreditar numa abordagem diferente”, diz Eduardo Pereira. Um dos métodos será a terapia guiada por ultrassonografia, para partilha da imagem visceral através de metáforas, que permite um diálogo com o cérebro. No fundo é aquilo que define como uma “medicina da narrativa”, que trabalha a confiança, os medos e as angústias dos doentes. A ajuda também pode ser útil no luto, um processo que deve ser limitado no tempo mas que se torna um problema quando se arrasta. Eduardo Pereira está convicto que quando uma pessoa o perpetua “passa a ter um luto patológico e nós não podemos continuar a ter pessoas com luto patológico sem cuidar delas”.

O laboratório vai ter dois projetos em curso, nas áreas das ciências básicas e clínica, em interação com a Faculdade de Medicina de Lisboa.