Tal como acontece na maioria dos transtornos alimentares, o foco excessivo com o peso é uma das principais características da anorexia, mas não é o único fator que a define. A anorexia é muito mais do que uma mera preocupação estética com o peso ou o formato do corpo, e é uma doença que deve ser levada a sério, pelas complicações de saúde que pode trazer à pessoa doente.

Fique a conhecer melhor esta patologia, bem como o seu tratamento e os sinais de alerta a que deve estar atento.

O que é a Anorexia?

A anorexia nervosa, vulgarmente chamada de apenas anorexia, é um transtorno alimentar no qual a pessoa tem uma percepção distorcida do seu peso. O paciente evita ingerir os alimentos necessários para o bom funcionamento do seu organismo, acabando por ficar com um peso corporal anormalmente baixo, colocando a sua saúde em perigo.
Para além de se recusar a comer, a pessoa pode também praticar excesso de exercício físico, ou recorrer a um abuso de diuréticos ou laxantes. A longo prazo, estes comportamentos podem causar danos irreversíveis no organismo, e em casos extremos provocar a morte. Alguns dos fatores de risco mais comuns para o aparecimento desta patologia são:

  • Pressão social por questões estéticas,
  • Distúrbios psiquiátricos como ansiedade, depressão e transtorno obsessivo-compulsivo,
  • Desequilíbrios hormonais,
  • Baixa autoestima,
  • Perfeccionismo exagerado,
  • Histórico familiar da doença.

Quais são os principais sinais de alarme?

Apesar de se puder fazer pouco para prevenir esta doença, quanto mais depressa se iniciar a intervenção, maiores são as probabilidades de conseguir uma recuperação completa. Se conhecer alguém, ou sentir algum destes sintomas, é importante ficar atento:

  • Passar demasiado tempo ao espelho, ou preocupado com a aparência,
  • Obsessão com o peso, calorias ingeridas ou medo extremo de engordar,
  • Comer muito pouco, ou rejeitar refeições,
  • Estimular o vómito após a ingestão de alimentos,
  • Perda de peso acentuada,
  • Usar truques para dar a impressão de que já comeu ou esvaziou o prato,
  • Ausência de menstruação,
  • Redução na libido,
  • Prática exagerada de exercícios visando à forma física
  • Evitar comer na frente de outras pessoas

Numa primeira fase, é importante começar por ter uma conversa séria com a pessoa que demonstra estes sintomas, e tentar evitar os estímulos que possam estar na origem deste comportamento (como a pressão social para ter uma certa aparência). Reforce a importância de ter uma alimentação saudável e equilibrada, sem ter o peso como foco principal.

Possíveis complicações para a saúde, provocadas pela Anorexia

A perda de peso impulsionada por este transtorno é extremamente perigosa. Por haver uma redução nos alimentos ingeridos, o organismo acaba por não receber os nutrientes necessários para o seu normal funcionamento. Isto pode levar a um enfraquecimento do sistema imunitário, dos músculos e dos ossos, interrupção da menstruação, arritmias cardíacas e convulsões. Estima-se ainda que este quadro chegue a ser fatal em 15% dos casos.

Quais os tratamentos existentes?

Tal como todos os distúrbios alimentares, a anorexia é diagnosticada com base num conjunto de sinais, sintomas e comportamentos. No caso de suspeita de se tratar desta patologia, o médico responsável irá realizar um conjunto de exames, provavelmente incluindo:

Exame físico – como análises de laboratório, e outros testes que irão descartar outras possíveis causas para o problema alimentar.
Avaliação psicológica – será também feita uma avaliação por um psicólogo para tentar entender os pensamentos do paciente, e quais os fatores psico-emocionais que contribuiram para o aparecimento da doença.
Outros estudos- alguns testes adicionais podem ser feitos para verificar se há complicações relacionadas com o transtorno alimentar.

O tratamento desta patologia irá envolver uma equipa multidisciplinar, composta por um médico, uma psicóloga e muito provavelmente uma nutricionista. Inicialmente, o objetivo será recuperar algum do peso perdido, para restabelecer o equilíbrio no organismo. A psicoterapia irá trabalhar a forma como a pessoa percepciona o seu corpo, bem como dar-lhe ferramentas para trabalhar os aspetos emocionais que estiveram na origem do aparecimento da doença.

Em casos mais graves, pode ainda ser necessário o recurso a medicamentos ou até ao internamento.

Qualquer que seja a situação, o apoio de familiares e amigos é essencial para que a pessoa consiga voltar a ter uma vida feliz e saudável, e evitar recaídas (uma vez que a anorexia tem características crónicas).